terça-feira, maio 05, 2009

Carta para você que amo

As vezes fico horas sentado aqui olhando pra tela, sem ter o que dizer.
Parece que tudo em mim se esgotou.
O que posso contar? Quais as novidades? Meu fim de semana foi igual a tantos outros, bem menos diferente do que planejei.
Sei que você gosta quando lhe escrevo, mesmo para contar nada.
Mas eu sinto que essa relação é unilateral.
Você quase não me escreve. Não me telefona e quando nos econtramos, o que é raro, você parece sempre estar suspenso.
Me pergunto se você já sabe. Se alguma vez meus olhos denunciaram o que minha boca esconde.
Se. Se. Se.
E hoje, por não ter o que dizer eu decidi te contar
Eu te amo.
Amo o teu jeito despretensioso, o teu cabelo dourado. Amo teu jeito de andar e como suas camisetas lhe caem bem. Amo tua mão quando você fala e teu gosto musical.
Amo como você enrola o baseado e como fica depois dele.
Sua risada atrasada. Teu jeito de prestar atenção no que digo.
O clima do teu apartamento que denuncia o tipo de pessoa que você é.
Essa carta é isso. Só isso. Faça o que quiser com ela. Espero que você entenda.
Passei os dias pensando nisso, quando eu me dei conta, que sei que você gosta de café puro, expresso. Lembrar de você em um dia qualquer na hora banal do cafezinho me fez perceber.
Que esse amor não cabe mais em mim.
Espero tua resposta, mande um sinal.
Fique bem. te beijo na testa

Com amor,
Ed.

Um comentário:

Tônio disse...

não tomo café expresso, droga!