sábado, novembro 22, 2008

abandono

Tudo, deixei a vida de lado
Não reconheço esse cara
Essa cara
Esse jeito de ser.
Esse jeito de falar
De sentar
De sorrir sem querer
Esse jeito que completa as frases
Esse modo de se ausentar
Esse medo
O menino que fui.
O homem que sou.
Não reconheço esse jeito de andar
De levar a vida por ai na esquina
De escrever.
Esse cara que me toma em noites longas
Na chuva
Quando abro o guarda chuva
Quando fumo erva
Quando inalo profundo a carreira branca
Quando danço
E vou sem fim
Sem hora
E quando o tempo não para
Quando peço perdão e volto
E quando volto de novo
Pra mesma casa
Não reconheço
Cansei de não saber quem sou
Então
Assim, hoje, nessa noite de chuva eu me abandono.

3 comentários:

Somnia Carvalho disse...

Ed,

toda vez que tem um post seu eu corro pra ler!
e, apesar de saber da sua angústia, ainda adoro o que você escreve.

A minha questão tem sido a seguinte: esse seu abandono, essa sensação toda de estar perdido ... o quanto você quer mesmo deixar esse Ed estranho tomar conto do outro lado do Ed?

Todos nós somos assim meu amigo... tem lados sombrios da Somnia que você não gostaria de conhecer. Cada qual acha algo para sublimar tanta frustração, ódio ou amor. Uns acham as igrejas, outros os exercícios, outros a comida, outros a leitura e escrita, outros as drogas, outros a tv... cada qual com seu misere... com sua porção terrível de ser aceita. Entretanto, esse lado só domina quando o seu lado branco, o nosso lado do qual mais amamos e admiramos realmente quer aparecer.
Então minha pergunta é o quanto você gosta do Ed sombrio e o quanto gosta do outro Ed. E talvez você precise reconhecer que sempre haverá o risco desse outro Ed dominar a cena, mas depende do Ed superior quer mesmo encarar essa empreitada...

eu adoro um termo do Hegel que fala do Ser Absoluto. Talvez seja hora, meu queridíssimo amigo, de você pôr os pratos na mesa com esse lado do Ed que você estranha tanto. Eu tenho a mais absoluta certeza que você já tentou e deve ser terrível mesmo tentar pôr, mas vai ter uma hora meu amigo que você tem que tirá-lo da jogada. Mas não depende de mais ninguém, depende de você, desse seu Eu Superior, poderosíssimo que viveu até agora domindo os outros Eds todos. Te adoro demais. E desculpa por eu falar besteira. Sei que o problema dos outros sempre parece facil pra gente, mas não quero que pareca isso. bjs

Somnia Carvalho disse...

ah, e minha mensagem tá terrivelmente mal escrita... escrevi muito correndo, desculpa, porque hj tá um caos aqui. bjs

Ed disse...

olha... eu nunca tinha visto esse texto hehehe... bom, pq acho q agora me sinto mais confortável para responder. quando a gente se sente dividido é difícil responder p si mesmo se essa divisão é ral ou se faz parte da gente... eu tenho concluído q são dois mesmo. se há sombrio, tb há luz (luise) e é melhor lidar com essa contradição mesmo... estranho q eu tenha escolhido o sobrenome sombrio para brilhar... mas tão difícil é lidar com isso que prefiro, hoje, esperar para o sombrio brilhar quando o luise souber o que fazer com a escuridão... por outro lado, há sempre um certo prazer em viver na corda bamba... então tenho achado que viver é isso mesmo né... e que a crise e a dúvida são, na verdade, uma benção que veio junto com uma inteligência (se podemos chamar assim) com a qual vou ter que aprender a viver e a usar para o bem... de qualquer forma, obrigado!!!