sexta-feira, março 07, 2008

Sapos

Os sapos sempre tão interessantes.
Gosto deles.
Os príncipes me dão no saco, sempre perfeitos demais, engomados demais, fúteis demais.
Reparou que o príncipe sempre está preocupado: se o cabelo está arrumado, se o corpo está bonito se o cavalo ta branquinho, se o outro sabe que ele é belo se ele se ele se ele.
Príncipes são umbiguistas (sim eu invento palavras).
Os sapos não! estão lá na lagoa sem muitas preocupações tentando comer a primeira mosquinha.
Uma vida assim tão desapegada.
Têm historias, noturnas, vespertinas, se você parar para conversar com um sapo, vai se encantar.
Eles sempre ou quase sempre têm uma vida interessante.
Muitos deles são conscientes da condição anfíbia e não esperam um beijo para ser.
Eles são.
E o melhor é que eles sabem ser príncipes também.
Quando amados e descobertos... Ah meu amigo!
Pode acreditar que ele vai te fazer feliz.
São defensores de que a embalagem não diz nada.
Que a beleza é passageira e está além.
Muitos acham os sapos nojentos, feios e sem graças
Eu não.
Eu gosto dos verdinhos.
Não preciso do seu cavalo branco, de sua roupa engomada.
Venha desprovido de tudo e descobriremos o mundo!
Eu e meu sapo.

2 comentários:

Somnia Carvalho disse...

Ed, você é o sapo mais encantador que eu já conheci!!! fiquei triste de ter tomado apenas uma caipirinha com meu sapo predileto!

Tônio disse...

que foooofo! Tava tentando ler você inteirinho antes de comentar, mas não pude. tive que parar pra dizer que você é um fofo! Não tinha pensado em sapos assim, acho que também quero um!