segunda-feira, agosto 25, 2008

Vida

A minha vida escorre.
Pelos dedos.
Suor
Nas lágrimas
Desce seca pela garganta.
Sai como lama espessa pelos pés
Ela corre
Contra mim
Vibra, vibra tanto que nem cabe
Minha vida escorre
Pelas paredes, debaixo do sofá.
Na saliva da boca gasta
No fôlego que me falta
Vai a vida
Rápida demais
No trem que eu nem quis entrar.
Vai sem rumo vai sem freio
Ela escorre.
Minha vida.
Corre
Sem querer parar.

2 comentários:

Somnia Carvalho disse...

Lindo! Lindo! Lindo!!!!

Andréa disse...

Tem uma coisinha prá vc lá no meu blog!!
Bjs
Andréa